terça-feira, 16 de junho de 2009

terça-feira, 9 de junho de 2009

Aniversário de 75 anos do Pato Donald!

Simplesmente impossível não dar os parabéns ao pato mais ranzinza, encrenqueiro e amado deste mundo. Seu carisma e influência são tamanhos que, além de desbancar o Mickey, foi utilizado até na política internacional americana, aqui na América Latina (lembra do desenho com a Carmem Miranda?O Zé Carioca surgiu nessa época) - mas isso é uma outra história...

Agência EFE - FERNANDO MEXÍA
De Los Angeles
O temperamental Pato Donald, um dos personagens mais populares dos estúdios Disney, completa hoje 75 anos repletos de dezenas de histórias que levam a ininteligível ave com visual de marinheiro a viver sempre à beira de um ataque de nervos.O personagem fez sua estreia em 9 de junho de 1934 como coadjuvante no curta-metragem "The Wise Little Hen" ("A Galinha Sábia"), no qual Donald já mostrava sua personalidade arisca ao dar as costas a uma galinha que necessitava de ajuda para plantar e colher milho.Sua singularidade, marcada por uma voz compreensível apenas para o resto dos personagens da Disney, o levou a protagonizar seu primeiro curta-metragem de animação em 1937, intitulado "Don Donald", momento no qual também foi apresentada ao público sua eterna namorada, Margarida - que à época ganhou o nome de Donna.O sucesso de Donald foi tanto que, na década dos 40, o personagem já tinha sido protagonista de mais produções do que o próprio Mickey, símbolo das criações dos estúdios de Walt Disney.
Em toda a sua trajetória, o pato assumiu 130 papéis protagonistas e dezenas de aparições em produções com o rato mais famoso do mundo e com outros personagens da Disney como Pluto e Pateta.
Tal currículo garantiu a Donald uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood e a marca de sua pata em cimento na entrada do famoso Teatro Chinês de Los Angeles, uma honra reservado a poucas figuras do cinema.As produções estreladas pelo pato começaram a ultrapassar as fronteiras dos países de língua inglesa e se tornaram um fenômeno nos países latinos com "Alô, Amigos" (1942) e "Você Já Foi à Bahia?" (1944), duas produções que misturavam animação com atuações reais e que apresentou a Disney na América Latina.Nos dois filmes, que foram indicados ao Oscar, Donald aparece com o papagaio Zé Carioca. A estatueta viria com a Segunda Guerra Mundial em "Der Fuehrer's Face" ("A Face do Fuehrer", em tradução livre), de 1942, onde Donald sonhava que vivia sob o regime nazista e finalmente acordava sob a Estátua da Liberdade, aliviado por ser americano.
A teimosia do personagem o levaria a viver situações que solucionaria na maior parte dos casos após usar seu lado mais impulsivo.Os estúdios Disney o definiram como um pato cuja "segunda ou terceira intenção é boa, mas quando elas aparecem, ele já caminha na direção equivocada"."Não importa quanta humilhação o mundo o submeta, Donald a receberá e voltará para mais. É um perdedor que não desiste. Ele cairá lutando", afirma o portal da Disney.Produções como "Donald's Crime" ("O Crime de Donald", em tradução livre), de 1945, destacam esse lado obscuro do pato, disposto a roubar as economias de seus sobrinhos para pagar um encontro com Margarida, apesar de a trama terminar com o arrependimento do ladrão.
Donald ganharia uma história em quadrinhos própria ainda em 1938 e, mais adiante, justificaria o nascimento de outros personagens ligados a ele. Margarida teria três sobrinhas, Lalá, Lili e Lelé, da mesma forma que Donald seria o tio de Huguinho, Zezinho e Luisinho.Ainda nesse universo, estrearia no final dos anos 40 outro clássico pato da Disney, Tio Patinhas, o avarento parente de Donald inspirado no romance "Um Conto de Natal", de Charles Dickens.
O último filme de Donald foi "Pateta - O Filme", que estreou em 1995, 11 anos depois do 50º aniversário do pato, quando foi nomeado fuzileiro naval honorário das Forças Armadas dos Estados Unidos.Por ocasião dos 75 anos do personagem, a Disney lançou um concurso internacional para que os fãs do Pato Donald ilustrem em um desenho o espírito que melhor representa a carismática ave.
FONTE 1 E 2

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Enchentes no Norte e Nordeste, como e onde ajudar?

As chuvas já castigaram 370 municípios no Norte e Nordeste. Mais de um milhão de pessoas foram afetadas nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Acre, Amazonas e Pará (o Mapa das Chuvas - http://migre.me/1dmS - mostra as cidades atingidas).
Em todo o país, diversas entidades (como Correios, Cruz Vermelha, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil), bem como empresas, estão recolhendo doações.
Na dúvida sobre a idoneidade de uma iniciativa, entre em contato com a Defesa Civil de seu estado (http://www.defesacivil.gov.br/)
Você pode colaborar com água, alimentos não perecíveis (arroz, feijão, açúcar, óleo, leite em pó, farinha de mandioca e macarrão), medicamentos, roupas, cobertores, lençóis e fraldas.

domingo, 24 de maio de 2009

Nascimento de bebê elefante na Bélgica é filmado e exibido ao vivo

O nascimento de um elefante no zoológico de Antuérpia, na Bélgica, foi filmado e transmitido ao vivo em um webcast. A bebê elefante nasceu no último domingo, pesando 100 kg, depois de 38 horas de trabalho de parto. O filhote que ainda não tem nome, informa o zoo, é o primeiro elefante a nascer em um zoológico na Bélgica. Segundo especialistas do local, as imagens também mostram a mãe e a tia do filhote protegendo o bebê da irmã ciumenta.
Para assistir ao vídeo da BBC, clique aqui.

sábado, 23 de maio de 2009

Que bicho você é?



CLIQUE NA FOTO E FAÇA O TESTE PARA DESCOBRIR.

COM QUASE 2 MILHÕES DE DEFICIENTES VISUAIS, O BRASIL TEM APENAS 60 CÃES GUIAS

Thays Martinez, 35, e Diesel, 2, seu novo cão guia: símbolos da luta por direitos


olhos amigos

por Daya Lima

Quando Boris, um labrador de dez anos, se aposentou, no final de 2008, Thays Martinez, 35, precisou encontrar um novo companheiro de caminhada. O escolhido foi Diesel, 2, da mesma raça. "Estamos nos adaptando, e ele é excelente", afirma a advogada, que perdeu a visão aos quatro anos e foi pioneira no uso de cão guia para se locomover em São Paulo.
Adaptação, no caso, é aumentar a sintonia entre ambos, para que o animal leia automaticamente os comandos da dona.
No Dia Internacional do Cão Guia, comemorado em 29 de abril, lá estava Diesel, que estreou na função há quatro meses, no shopping Iguatemi. Ele participou do evento de conscientização promovido pelo Iris (Instituto de Responsabilidade e Inclusão Social), fundado por Thays em 2002.



Ela ficou conhecida como a "moça do cão guia" por ter sido barrada no metrô de São Paulo em maio de 2000. Saiu vitoriosa de uma batalha judicial que fez de Boris o primeiro animal autorizado a guiar um cego pelos trens urbanos da cidade. Um marco na garantia do direito de ir e vir dos deficientes visuais.
Há muito a conscientizar e pouco a festejar sobre o assunto. Treinado nos EUA, Diesel é um dos 60 cães que guiam deficientes no Brasil, enquanto existem quase 2 milhões de cegos no país, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


Só no Iris, mais de 2.000 pessoas esperam na fila por um cão guia. Um dos motivos da espera é que poucas ONGs brasileiras se dedicam ao treinamento. É o caso do Instituto de Integração Social e de Promoção da Cidadania (Integra), localizado em Brasília, que desenvolve o projeto Cão Guia de Cegos, desde 2002, em parceria com o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.
De lá, saíram 26 cães guias que estão espalhados pelo Brasil. "Podemos capacitar mais, só que faltam recursos", diz Michele Pöttker, coordenadora do projeto que tem patrocínio de empresas como Bayer e Premier.
A ONG tem mais de 250 pessoas cadastradas para receber um cão. "O treinamento e a manutenção de cada animal custam em torno de R$ 20 mil para a entidade", estima Michele. O usuário não paga pelo cão. As únicas despesas são de alojamento e alimentação no período de adaptação -que dura de 15 a 25 dias. A diária fica em torno de R$ 60.


Já o Iris não realiza treinamento completo no Brasil. O instituto paulistano fez uma parceria com a Leader Dogs, escola de treinamento de Detroit, nos Estados Unidos. "A escola nos doa oito cães por ano, e conseguimos, a duras penas, mandar os deficientes para lá", explica Thays. O parceiro brasileiro banca passagens e um dossiê em inglês contendo informações e imagens do usuário.
O processo esbarra na falta de recursos. "Se fizéssemos o treinamento por aqui, seria menos burocrático e mais deficientes teriam cão guia", afirma. Em 2009, o Iris deve enviar mais oito cegos aos EUA.


O advogado Genival dos Santos, 30, foi um dos deficientes apadrinhados pelo Iris. "Em 2006, fui aos Estados Unidos ‘buscar’ meus olhos." Layla, uma labrador de três anos e meio, possibilita a vida agitada de Genival. "Ela me acorda todos os dias às 6h. Vamos a uma praça para que faça suas necessidades e seguimos para o trabalho", conta.
Genival trabalha em um banco na avenida Paulista que, segundo ele, trata Layla como "funcionária". "Ela tem uma graminha especial, dentro do banco, para fazer xixi quando der vontade."
Morador do Jabaquara, ele usa o metrô diariamente e fez amigos pelo trajeto. Mas ainda sofre com a desinformação da população: "Layla é sempre distraída pelas pessoas. Acham que ela não saberá me conduzir na escada rolante e na entrada do trem".


Incidente no metrôA boa vontade pode atrapalhar. Há poucos dias, Genival tropeçou quando ia entrar no metrô justamente porque um passageiro tentou lhe dar a mão. "As pessoas não confiam no cão guia", constata.
Para o treinador Moisés Vieira Jr., há 13 anos na função, a principal característica que um animal deve ter para virar guia é ser fiel ao dono. "Todo cão pode aprender, desde que seja bem treinado e que tenha um comportamento que mescle segurança e obediência."


Foram tais qualidades de Boris que conquistaram Thays. O cão guia era sua sombra e adivinhava suas vontades. O sinal de que era hora de aposentá-lo veio depois de um incidente: Boris não conseguiu desviar a dona de uma escada em plena Paulista.
Resultado: ela bateu a cabeça na escada. "Eu chorava de tristeza, e as pessoas achavam que era de dor", conta Thays, que se deu conta de que era hora de dar descanso a quem lhe serviu tanto.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Francês cria 'lava a jato de cachorros'; veja fotos

Um francês inventou uma máquina para lavar cachorros. O Dog-O-Matic ("lava a jato de cães"), criado pelo empresário francês Romain Jarry, dá banho e seca os animais em cerca de 30 minutos.Jarry abriu uma loja na cidade de St. Max, próxima a Nancy, no nordeste da França. A novidade vem fazendo sucesso entre os clientes. O empresário espera lançar a máquina na Grã-Bretanha no próximo ano.A máquina lava cães de diferentes tamanhos. Os preços variam de 13 euros (cerca de R$ 36) para cães de pequeno porte, 22 euros (R$ 62) para os médios e 31 euros (R$ 87) para os grandes.

O Dog-O-Matic também funciona com gatos.O ciclo de lavagem e enxágue dura 5 minutos, e a secagem demora 25 minutos. A máquina usa água morna e um xampu especial que supostamente não irrita os olhos dos animais. O ciclo pode ser interrompido a qualquer momento pelo dono do animal.Jarry diz que sua invenção tem sido boa para pessoas que têm cães e gatos que ficam muito agitados na hora do banho."Esta cabine é ótima para os donos de cães agitados durante o banho", diz Jarry. "Por não haver intervenção humana durante o banho, o cão acaba se acalmando sozinho, muito mais rápido do que se o dono estivesse tentando acalmá-lo."

Violência contra crianças

video

Gatinho vira celebridade no Twitter e atrai milhares de seguidores

O perfil de Sockington no Twitter ficou famoso e atrai seguidores
Ele é uma das celebridades mais populares do Twitter, com mais de 500 mil seguidores. Seu nome é Sockington, um gato que usa o micro blog para contar coisas de sua rotina, como suas refeições, higiene ou a vista do topo da escada.Sockington, ou "Socks" (meias, na tradução), é o gato de Jason Scott, especialista em computação de Waltham, em Massachusetts, nos EUA. Desde 2007, Scott tem escrito sobre a perspectiva de Sckinton no Twitter e ganhado seguidores (muitos deles também são perfis de animais domésticos).
Perfis de cães e gatos em sites de relacionamento não são novidade. Muitos têm página no Facebook e aparecem em sites de bichos. A diferença do twitter é que os comentários de um felino ganham dimensões de uma tirinha. "Ele é como o Garfield do século 21", diz Scott, comparando seu gato ao personagem famoso. Os seguidores de Sockington têm aumentado no último ano e meio. Há até camisetas do gato com suas frases impresas à venda. "Estou feliz que nisto tudo há um gatinho engraçado, e que isso tem atraído a atenção", disse Scott. "Há piores maneiras de conquistar este tipo de atenção nacional".

sábado, 16 de maio de 2009

segunda-feira, 11 de maio de 2009

terça-feira, 28 de abril de 2009

Concurso de beleza de gatos na Romênia

O encontro internacional de gatos ''Sophisticat 2009'' reuniu gatos de vários países

quinta-feira, 23 de abril de 2009

quarta-feira, 22 de abril de 2009

terça-feira, 21 de abril de 2009

segunda-feira, 13 de abril de 2009

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Bicho Homem BURRO!! :'o(

Cenas da nossa amada Floresta Amazônica.

Fonte

Tartaruga substitui nadadeira com prótese, nos EUA


Sem três de suas nadadeiras, Allison nadava em círculos. Com a prótese presa ao casco, ela nada em linha reta.

A equipe de biólogos do Sea Turtle experimenta a prótese na tartaruga verde marinha

Allison ganhou a prótese para nadar normalmente, como as outras tartarugas

A nadadeira artificial funciona como um leme e permite ao bicho nadar em linha reta


A tartaruga Allison, 5 anos, ganhou um novo traje que rende comparações aos personagens Leonardo, Michelangelo, Donatello e Rafael do filme Tartarugas Ninja, de 1990. Apesar de não ser mutante e muito menos ter habilidades ninjas como os xarás, Allison supera a falta da nadadeira esquerda com uma prótese em forma de barbatana que lhe ajuda a se locomover corretamente em South Padre Island, no Estado americano do Texas. As informações são da agência AP.
Os biólogos que a resgataram, do centro Sea Turtle, explicaram que é a primeira vez que a peça artificial é utilizada em uma tartaruga. A prótese é feita com fibra de carbono e fica presa ao casco do animal com uma roupa de neoprene.
Segundo os especialistas, o objeto funciona como um leme e ajuda a tartaruga a nadar em linha reta naturalmente. Antes, o réptil se locomovia em círculos e perdia a direção por causa da ausência de um dos membros.


quarta-feira, 8 de abril de 2009

Chimpanzés trocam comida por sexo, sugere estudo

BBC Brasil
Pesquisadores do Instituto de Antropologia Evolutiva descobriram que chimpanzés fazem "acordos" de troca de carne por sexo.Os cientistas perceberam que os machos dispostos a compartilhar a caça com fêmeas, mantêm relações sexuais com uma frequência duas vezes maior do que aqueles que guardam a comida para si mesmos.E esta é uma troca que não tem apenas efeito imediato - os machos que continuam dividindo a carne com as fêmeas quando elas não estão férteis acasalam-se com elas quando estão propensas à reprodução.Cristina Gomes e seus colegas, do Instituto de Antropologia Evolutiva Max Planck, na Alemanha, estudaram os chimpanzés na reserva florestal Tai, na Costa do Marfim. Eles observaram os animais durante a caça e monitoraram o número de vezes em que copularam. "Machos que compartilham carne com fêmeas duplicam o sucesso de acasalamento e as fêmeas, que têm dificuldade de obter carne sozinhas, aumentam sua ingestão de calorias sem arcar com o custo energético e o risco potencial de ferimento ligado à caçada", disse Gomes.
Proteína Carne é importante para a dieta dos animais porque tem alto valor proteico. A hipótese de "carne por sexo" foi proposta anteriormente para explicar porque os machos dividem sua comida com as fêmeas. Mas aquelas tentativas de registrar o fenômeno fracassaram porque os pesquisadores procuraram trocas diretas, em que um macho compartilhou a carne com uma fêmea fértil, fazendo sexo com ela em seguida.A equipe de Gomes escolheu outra abordagem e descobriu que os machos podem compartilhar carne com uma fêmea e só copular com ela após um dia ou dois.Gomes acredita que a descoberta pode até fornecer pistas sobre a evolução humana. A especialista sugere que este estudo pode lançar as bases para outros, sobre os seres humanos, que explorem a ligação entre "a habilidade para caçar e o sucesso na reprodução

Diminuição do gelo no Ártico continua, mostra estudo

Dados da Nasa divulgados esta semana indicam que a camada de gelo sobre o Ártico continua encolhendo, assim como o manto polar. Os seis piores níveis foram registrados justamente nos últimos seis anos. O satélite começou as medições em 1976



Da Agência Fapesp

Um estudo feito a partir de novos dados obtidos pelo satélite Acqua, da Nasa, a agência espacial norte-americana, mostra que o processo de diminuição do gelo marinho no Ártico - que já dura uma década - continua. O manto de gelo também está cada vez mais fino.O gelo marinho no Ártico funciona como se fosse uma espécie de ar condicionado para o sistema climático global. O gelo naturalmente esfria as massas de ar e água, tem papel fundamental na circulação oceânica e reflete a radiação solar de volta ao espaço.

Pesquisadores que monitoram a calota glacial ártica a partir do espaço afirmam que no último inverno (no hemisfério Norte) o gelo no círculo polar apresentou a quinta menor extensão desde que esse tipo de registro começou a ser feito, em 1979.Os seis menores níveis ocorreram justamente nos últimos seis anos, de 2004 a 2009. A velocidade com que o gelo marinho no extremo norte do planeta está encolhendo tem surpreendido os cientistas.Até recentemente, a maior parte do gelo marinho no Ártico costumava permanecer por no mínimo um verão e, muitas vezes, durante vários. Mas tal cenário tem mudado dramaticamente, segundo Charles Flowler, da Universidade do Colorado, que coordenou o novo estudo.Hoje, o gelo sazonal fino - que derrete e recongela a cada ano - responde por cerca de 70% da cobertura no Ártico no inverno.

Até a década de 1990, o total desse tipo de gelo chegava no máximo a 50%.Segundo os cientistas, o gelo mais espesso, capaz de resistir por dois ou mais anos, agora equivale a apenas 10% da cobertura ártica no inverno. Até a década de 1990, variava entre 30% e 40%.O estudo destaca que a extensão máxima do gelo marinho na região no período 2008-2009, atingida em 28 de fevereiro, chegou a 15 milhões de quilômetros quadrados. O total corresponde a 720 mil quilômetros quadrados a menos do que a média entre 1979 e 2000."A extensão do gelo é uma medida importante da saúde do Ártico, mas ela nos dá apenas uma visão bidimensional da cobertura do gelo.

Espessura também é importante, especialmente no inverno, porque se trata do melhor indicador geral da calota. À medida que a camada de gelo no Ártico fica mais fina, ela se torna mais vulnerável ao aquecimento que ocorre no verão", explicou Walter Meier, um dos pesquisadores do grupo de Flowler.Segundo os cientistas, conforme o gelo mais espesso desaparece, ele é substituído por uma camada mais nova. Essa cobertura é também mais fina e mais suscetível ao derretimento no verão. O gelo sazonal tem em média 1,8 metro, enquanto que a capa mais espessa - capaz de sobreviver a mais de um verão - tem cerca de 2,7 metros.

FONTE

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Um dia qualquer num zoológico...

- E aí, escrevesse? Escrevesse? Escrevesse o que?
- Hehehe...Eu sou um B-U-N-D-Ã-O.
- Depois fica se achando...
- É, nem sonha porque sempre é o destaque daqui do zoo...QUÉQUÉQUÉÉÉÉÉÉ!!!!!!!
- Deixa ele! QUÉQUÉQUÉÉÉÉÉÉ!!!!!!!
- QUÉQUÉQUÉÉÉÉÉÉ!!!!!!!

domingo, 5 de abril de 2009

Havaiano tira fotos de interior de ondas gigantes

Um ex-surfista americano agora se dedica a uma atividade inusitada: fotografar ondas de dentro delas.


Clark Little, de 39 anos, começou a fazer as imagens depois que sua mulher manifestou o desejo de ter uma foto para decorar a casa do casal, no Havaí.Há dois anos, ele vive do dinheiro que ganha com a venda das fotos."O mar é minha segunda casa e eu amo o que faço", disse Little à BBC Brasil. "Não existe para mim aquela sensação de encarar o trabalho como uma obrigação."
Arremessado
O fotógrafo conta que para obter as melhores imagens, ele utiliza uma câmera capaz de obter até dez fotos por segundo.
As ondas que ele encara variam entre 90 cm e 4,5 m.Muitas vezes, ele chegou a ser arremessado a até 10 m de distância de sua localização original. "Sempre existe um risco para mim, por conta da força e tamanho das ondas. Mas minha experiência como surfista me deixa à vontade para encarar as ondas sem medo", afirmou.








Show, né não?

Esse vídeo é pra sacanear o Tijolo... Eu ia mandar pro Azidéias,IA, mas como ele tá muito ocupado, postei aqui. RÁ-RÁ!

video

sábado, 4 de abril de 2009

Surpresaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Hummmmmmmmmm...

É, ãhn... ahan! Pois, é, né?!

Depois de mais de um ano de blog, pra ser exata, um ano, um mês e quatro dias, eis que surge uma nova figura, literalmente, NA CAPA DO BLOG!

Vou fazer as devidas apresentações, afinal, isto aqui é uma democracia e eu posso tomar um esporro (ai,ai ai...) do Carlos (que, aliás é meu marido, to f*) e do Tyjolo (amigo de infância do Carlos, meu amigo e nosso compadre, no fim das contas, eles se unem e eu continuo, f*).

Bem, bom, bem...

Eita que eu estou mais enrolada que corda de peão de menino buchudo...

Lá vai!

Senta direito, que a conversa é longa.


Se tem uma coisinha que gosto nessa vida além de bicho, é fotografia...


Enfim, desde pequetitica, mas muitoooooooooo mesmo, afinal, aos 31, tenho 1,60m (hahahahaha, nem ligo, tenho salto alto pra isso, ok?!), venho pulando de uma máquina fotográfica aqui e outra acolá. Mas nunca deixei de ter uma sempre a mão e nem de ser a chata da turma que fica pedindo: " Só mais uma fotinha galera!" "Vcs reclamam agora, mas, depois a foto presta e todo mundo quer também..." E assim tem sido a vida inteira.


Enfim, agora, finalmente estou realizando um sonho. Comprei minha semi-profissional. UHUUUUUUUUUUUUUUU!! Uma Nikon D-60 com kit de lente básico. Tem que começar devagar né? Afinal, ela já é um parque de diversões, hehehe!

São apenas quatro dias com ela, e não consigo parar de ler sobre ela, ver sites de fotografia, ler o manual e procurar cursos de fotografia. É demais!


E melhor ainda, é descobrir que: tcham, tcham, tcham... EU ESTOU ADORANDO CLICAR BICHOS!

Ainda bem que tenho cobaias boazinhas, cinco gatos (3 fêmeas e dois machos) e um cachorro, hahahhahaha! Que beleza... To nem aí se tenho que me ralar no chão, ficar paralisada etc, to achando ótimo, vida de quem ama bicho é assim mesmo. Quem anda no meio de muitos, sabe que tem que ter muuuuuuuita calma.


Enfim, essa enrolação tooooda, é pra dizer, que de hoje em diante, nosso blog não será mais o mesmo.


ESPERO DE CORAÇÃO QUE VOCÊS NÃO FUJAM!


Nada da nossa página principal ser um cachorro lindinho e sem nome vindo sei lá de onde! Vou sair por aí fotografando os lindos e lindas. E digo logo: bicho pra mim é tudo LINDO! Até lagartixa; então não reclamem da bichinha não, viu? Se eu achar uma, em um pé de árvore dando sopa, clique nela!

É claro, que eu espero ansiosamente, que a qualidade fotográfica melhore consideravelmente, rsrsrsrs, essa de hoje, foi a primeiríssima, a do caçula da casa, o Hércules, filho da Afrodite com o Zeus, que por sinal, eu acabei sendo a parteira... Esse gato não me larga, conversa comigo, reclama, dá descarga no vaso sanitário ,e, é o melhor amigo do Rufus, o cachorro da casa.


Mudar é sempre bom, como aquariana penso assim.


Espero que gostem, senão gostarem, reclamem com o Carlos e o Tyjolo, hahahahahaha!

Bjos a todos e bom fim de semana.